MENU

O QUE VOCÊ PROCURA?

  • 19/12/2019

    Setor da construção civil deve melhorar em 2020, afirma empresário

    Após alguns anos difíceis para as empresas do ramo da construção civil, a melhora finalmente está cada vez mais próxima de acontecer. Isto é o que afirma o empresário Édio Castanhel, fundador da empresa Engenharia Castanhel, que esteve no programa Adelor Lessa desta quinta-feira, 19, ao lado de seu filho, e também membro da empresa, Edinho Castanhel.

    Já há anos no mercado, a Engenharia Castanhel trabalha com obras industriais, comerciais e de infraestrutura e, segundo Edio, passou por algumas dificuldades nos últimos tempos. “Não é segredo para ninguém que os três últimos anos foram muito difíceis para o setor, tanto a nível nacional e estadual quanto regional, e isso não foi diferente para a nossa empresa”, comentou.

    O empresário afirma que o ano de 2019 foi marcado por muito planejamento para melhoria da gestão durante o período de crise e que, juntamente a isso, foi feito um exercício de transição dentro da própria empresa. Edinho deve assumir futuramente a Engenharia Castanhel, e já possui boas novidades para sua futura posse – o reaquecimento do setor.

    “Tanto no estado quanto regionalmente os empresários estão bem otimistas para o reaquecimento da economia nesta área. Vemos grandes empresas que estão com metas de crescimento bem ousadas e mais otimistas para os próximos anos”, ressaltou Edinho, afirmando que a empresa já conta com bons orçamentos para 2020, visando a expansão da Castanhel.

    Apesar dos anos difíceis para a área, Edio destaca o setor da construção civil como um bom termômetro para se medir a economia – tanto nos períodos de crise, como também de retomada. “Este setor costuma ser o primeiro a sentir o baque quando surgem os períodos de recessão, mas também é o primeiro a sentir o reaquecimento”, comentou. “Sempre começa por São Paulo, o motor da nossa economia, e isso vem em cadeia. Nós podemos ver em Criciúma muitas obras sendo iniciadas no setor de apartamentos e prédios comerciais”, emendou o empresário.

    Privatizações

    Para Edio, os recentes projetos de privatização, e a  atuação direta da Lava Jato nas atividades de algumas empresas do ramo, fazem com que outras empresas do setor possam surgir e competir com maior igualdade – além de acelerar os processos para construção de obras.

    “A privatização deixa os afazeres mais diretos, sem toda aquela burocracia de licitações. Acho que nos próximos anos irão surgir novas empresas, já que o investimento previsto será grande. Provavelmente, além de expandir o nosso mercado local, também estaremos preparados para atuar em nível nacional nos próximos anos”, concluiu Edio.

    Fonte: Portal 4Oito - https://www.4oito.com.br/ 

     

    VOLTAR
    Compartilhar:

CAYMAN BACKEND